Carta Circular XXX

PROJETO PERPÉTUO SOCORRO

 

No último dia 26, os americanos celebraram a sua maior festa: O Dia de Ação de Graças.  Um dia, unicamente, dedicado à reflexão sobre tudo que recebemos nesta nossa peregrinação na terra. Nos Estados Unidos, é uma festa celebrada pelas famílias em volta duma mesa farta simbolizando o dom da vida. É interessante a notar que a festa não tem implicações comerciais e, não exige um gasto catastrófico que deixa as pessoas, as famílias numa situação economicamente difícil. É uma festa da família.  Exige, sim, muita abnegação e gasto pessoal para estar junto com os demais membros. Tais gastos, do cunho pessoal, obriga a pessoa a esquecer de si mesmo, um pouco, para poder partilhar com outros. Leva o indivíduo a considerar-se em relação à família para poder se perceber no contexto da sua história particular a partir da família. Assim, é possível dizer: “Agradeço-lhe.!”

Agradecer a Deus por ter lhe dado à oportunidade de viver a partir do contexto da sua história particular. Agradecer à família por ter estado presente na sua vida, na sua caminhada como uma rede, feito de laços amorosos, sustentando a caminhada de cada um.

Somente, assim, é possível para as pessoas, em volta da mesa, partir para a consequência necessária e urgente do momento de agradecimento.  Dizer “agradeço-lhe”, ou “obrigado” a Deus ou qualquer pessoa, nos coloca numa situação de dependência sadia.  Sim, necessitamos das pessoas ao nosso redor, seja na mesma mesa, no mesmo trabalho, na mesma igreja, ou mesma realidade de vida para podermos viver em harmonia criando um mundo mais fraterno. Sim, dependemos de Deus que está nos conduzindo para uma opção de vida sempre melhor.  Dessa forma, nós nos tornamos verdadeiros críticos da nossa vivência analisando a maneira em que vivemos, e como contribuímos para que o nosso mundo seja, verdadeiramente, mais correto, mais ético, mais solidário: um questionamento que nos leva a uma mudança.

Essa mudança, eu entendo, na seguinte forma: estar em sintonia com Deus. A origem e o destino da nossa vida é Deus. Temos que nos definir a partir dele: sua proposta para nós. Aqui estamos no nosso “Éden” para aprimorar a realidade em que vivemos transformando a dor em alegria, o sofrimento em prazer de viver. Não podemos dizer “obrigado” sem nos considerarmos como peregrinos sentido à vida.

Hoje, neste último dia de novembro, um mês marcado pelo agradecimento, quero dizer “obrigado” a todos vocês colaboradores que, um dia, disseram “sim” à vida nos apoiando nessa nossa missão de resgate. Semana passada, num momento de oração, um dos jovens rezou: “Quero-lhe agradecer, Ó Pai, por ter nos dado pessoas que se esquecem de si mesmos, para nos ajudar. Obrigado.”

Eu acrescento, obrigado por ter sido esse apoio para ele e tantos outros.  Obrigado por ter se empenhado no serviço aos outros. Obrigado por ter transformado sofrimento em prazer de viver.

Obrigado.

Pe. Patrício, Ir. Sérgio e todos do Projeto Perpétuo Socorro.

Sobre administrador

Estudante de Sistemas de Informação pela PUCPR, gosto de estar na internet, não me canso de saber mais sobre o que melhor sei fazer. Meu lema é "Conhecimento acima de tudo". Administrador de Sites e outros meios de comunicação na internet. Gosto de aprender sobre falhas de segurança [sites,sistemas eletrônicos e banco de dados].
Esta entrada foi publicada em Reflexões e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.